As Sombras da Lei

moses
AS SOMBRAS DA LEI

Quando meditamos na Lei continha diversos mandamentos, ritos, costumes e cerimonias que eram somente sombras e tipos que apontavam para uma situação temporária em Israel, mas que se cumpriram com a vinda de Jesus Cristo. Um exemplo disso são os sacrifícios de animais. Estes animais sacrificados não tinham em si mesmos a capacidade de efetuar qualquer purificação ou expiação pelos pecados:

“Porque tendo a Lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam”. (Hebreus 10.1)

Estes sacrifícios somente sombras do sacrifício expiatório na cruz do verdadeiro Sumo Sacerdote, Jesus Cristo. Com a vinda de Jesus Cristo não foi anulado aquilo que as cerimonias significavam. O sacrifício animal significava a remissão dos pecados. Mas os homens continuam recebendo remissão dos pecados. Apesar disso, nós não estamos mais sob a obrigação de sacrificar animais. O que o rito significava se cumpriu em Cristo. A essência do rito continua conosco, mas foi abolida sua observância externa. Isso é verdade não só para o sacrifício animal, mas pra todas as cerimonias da Lei:

“… e tendes a vossa plenitude nele, que é a cabeça de todo principado e potestade, no qual também fostes circuncidados com a circuncisão não feita por mãos no despojar do corpo da carne, a saber, a circuncisão de Cristo; tendo sido sepultados com ele no batismo, no qual também fostes ressuscitados pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos; e a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os delitos; e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz; e, tendo despojado os principados e potestades, os exibiu publicamente e deles triunfou na mesma cruz. Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados, que são sombras das coisas vindouras; mas o corpo é de Cristo”. (Colossenses 2.10-17)

Não estamos mais sob a obrigação de guardar as festas judaicas, de guardar o sábado ou de deixar de comer coisas como a carne de porco ou camarão. Tais coisas eram sombras que se cumpriram em Cristo. Mas isso não significa que a Lei tenha de alguma forma sido anulada. “Anulamos, pois, a lei pela fé? De modo nenhum; antes estabelecemos a Lei”. (Rm 3.31) Apesar de não haver continuidade das cerimonias e ritos da Lei, ela não é anulada porque nós temos em Cristo o cumprimento do que tais ritos e cerimonias significavam. Aquilo que era revelado em sombras, nós agora temos revelado em toda plenitude por Jesus Cristo. Como Jesus tinha dito no sermão da montanha: “Não penseis que vim destruir a Lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir”. (Mt 5.17) Sobre isso, João Calvino comentou:

“Mas agora que a coisa em si é dada para nós, não deve descansar por mais tempo nas sombras. De fato, a Lei não é abolida (Mateus 5.18; Efésios 2,15; Colossenses 1.14, 17); por isso temos de manter agora a substância e a verdade dela. Assim, a sombra é eliminada pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo…” (Comentário de Deuteronômio 5.12-14)

Aos Colossenses, Paulo citou como sombra: a circuncisão, as leis dietéticas, os sábados e as festas judaicas. Ele não cita aqui o sistema de sacrifícios, mas o principio é o mesmo porque, como já vimos, a carta aos Hebreus fala dos sacrifícios (entre outros rituais da Lei) como sombras (cf. Heb 8.3-6,10.1). Isso deixa claro que a circuncisão, as leis dietéticas, os sábados e as festas judaicas estão na mesma categoria do sistema sacrificial. Apontavam para uma realidade que já se cumpriu com a vinda de Cristo e por isso não temos a obrigação de guardar tais coisas se possuímos a Cristo para quem tais coisas apontavam. Isso não significa que a Lei é anulada, pois a substancia do que tais coisas significavam continuam conosco tendo se cumprindo, ainda que sem os mesmos sinais externos, pois eram somente sombras. A Confissão Belga resume isso com clareza:

“Cremos que as cerimônias e figuras da Lei terminaram com a vinda de Cristo e que, assim, todas as sombras chegaram ao fim. Por isso, os cristãos não devem mais usá-las. Contudo, para nós, sua verdade e substância permanecem em Cristo Jesus, em quem têm seu cumprimento”. (Confissão Belga, Artigo 25, “Cristo: o cumprimento da Lei)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s