IsaíasDEUS AINDA ENVIA PROFETAS?
Por Frank Brito

“Ora veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Antes que eu te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre te santifiquei; às nações te dei por Profeta”. (Jeremias 1:4-5)

“Segui o amor; e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar”. (I Coríntios 14:1)

Parte IParte IIParte III – Parte IV

O QUE É UM PROFETA?

Sem um entendimento claro sobre o dom da profecia, não temos base para entender a ordem do Apóstolo Paulo, “procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar“. (I Co 14:1) Essa ordem que ainda vigora em nossos dias? Ainda devemos buscar o dom de profetizar? Deus continua a enviar profetas? Antes de respondermos a essas perguntas, precisamos entender o que é um profeta. Dois textos da Lei são fundamentais para entender:

“Se se levantar no meio de vós profeta, ou sonhador de sonhos, e vos anunciar um sinal ou prodígio, e suceder o sinal ou prodígio de que vos houver falado, e ele disser: Vamos após outros deuses – deuses que nunca conhecestes – e sirvamo-los! não ouvireis as palavras daquele profeta, ou daquele sonhador; porquanto o Senhor vosso Deus vos está provando, para saber se amais o Senhor vosso Deus de todo o vosso coração e de toda a vossa alma. Após o Senhor vosso Deus andareis, e a ele temereis; os seus mandamentos guardareis, e a sua voz ouvireis; a ele servireis, e a ele vos apegareis”. (Deuteronômio 13:1-4)

“Do meio de seus irmãos lhes suscitarei um profeta semelhante a ti; e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar. E de qualquer que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, eu exigirei contas. Mas o profeta que tiver a presunção de falar em meu nome alguma palavra que eu não tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá. E, se disseres no teu coração: Como conheceremos qual seja a palavra que o Senhor falou? Quando o profeta falar em nome do Senhor e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás”. (Deuteronômio 18:18-22)

Aqui Deus nos deu características específicas para identificarmos os verdadeiros profetas. Primeiro, os verdadeiros profetas falam em nome do Deus verdadeiro e não dos falsos deuses:

“Se se levantar no meio de vós profeta, ou sonhador de sonhos, e vos anunciar um sinal ou prodígio, e suceder o sinal ou prodígio de que vos houver falado, e ele disser: Vamos após outros deuses – deuses que nunca conhecestes – e sirvamo-los! Não ouvireis as palavras daquele profeta, ou daquele sonhador”. (Dt 13:1-2)

Se alguém se apresenta como um profeta, mas não conduz os homens ao Deus verdadeiro – o Pai, o Filho e o Espírito – devemos automaticamente reconhê-lo como um falso profeta, ainda que opere sinais e prodígios. Maomé, por exemplo, foi um falso profeta porque ele falava em nome do falso deus Alá. Segundo, os verdadeiros profetas ensinam os homens a obedecerem os mandamentos de Deus:

“Após o Senhor vosso Deus andareis, e a ele temereis; os seus mandamentos guardareis“. (Deuteronômio 13:4-5)

Os falsos profetas levam os homens a transgredirem a Lei de Deus. Já os profetas verdadeiros, ensinam os homens a observarem Seus mandamentos. Terceiro, os verdadeiros profetas recebem a Palavra de Deus por revelações extraordinárias:

“…porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar. E de qualquer que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, eu exigirei contas“. (Deuteronômio 18:18)

Aqui a Lei deixa claro que os oráculos dos profetas não são nada menos que a Palavra de Deus, “as minhas palavras na sua boca”, e por isso, “qualquer que não ouvir as minhas palavras” peca gravemente e prestará contas a Deus. Isso é reafirmado por toda a Bíblia:

“Antes que eu te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre te santifiquei; às nações te dei por profeta. Então disse eu: Ah, Senhor Deus! Eis que não sei falar; porque sou um menino. Mas o Senhor me respondeu: Não digas: Eu sou um menino; porque a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar dirás. Não temas diante deles; pois eu sou contigo para te livrar, diz o Senhor. Então estendeu o Senhor a mão, e tocou-me na boca; e disse- me o Senhor: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca. Olha, ponho-te neste dia sobre as nações, e sobre os reinos, para arrancares e derribares, para destruíres e arruinares; e também para edificares e plantares”. (Jeremias 1:5-10)

“O profeta que tem um sonho conte o sonho; e aquele que tem a minha palavra, fale fielmente a minha palavra. Que tem a palha com o trigo? diz o Senhor. Não é a minha palavra como fogo, diz o Senhor, e como um martelo que esmiúça a pedra?” (Jeremias 23:28-29)

“Pois eu sou o Senhor teu Deus, que agita o mar, de modo que bramem as suas ondas. O Senhor dos exércitos é o seu nome. E pus as minhas palavras na tua boca, e te cubro com a sombra da minha mão; para plantar os céus, e para fundar a terra, e para dizer a Sião: Tu és o meu povo”. (Isaías 51:15-16)

“Neco, porém, mandou-lhe mensageiros, dizendo: Que tenho eu que fazer contigo, rei de Judá? Não é contra ti que venho hoje, mas contra a casa à qual faço guerra; e Deus mandou que me apressasse. Deixa de te opores a Deus, que está comigo, para que ele não te destrua. Todavia Josias não quis virar dele o seu rosto, mas disfarçou-se para pelejar contra ele e, não querendo ouvir as palavras de Neco, que saíram da boca de Deus, veio pelejar no vale de Megido”. (II Crônicas 35:21-22)

Uma das características dos falsos profetas, então, é que suas palavras não são a Palavra de Deus, mas, em vez disso, são palavras do próprio coração ou, em casos mais sérios, palavras inspirada por espíritos imundos:

“Mas o profeta que tiver a presunção de falar em meu nome alguma palavra que eu não tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá. E, se disseres no teu coração: Como conheceremos qual seja a palavra que o Senhor falou? Quando o profeta falar em nome do Senhor e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás”. (Deuteronômio 18:20-22)

“E disse-me o Senhor: Os profetas profetizam mentiras em meu nome; não os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei. Visão falsa, adivinhação, vaidade e o engano do seu coração é o que eles vos profetizam”. (Jeremias 14:14)

“Assim diz o Senhor dos exércitos: Não deis ouvidos as palavras dos profetas, que vos profetizam a vós, ensinando-vos vaidades; falam da visão do seu coração, não da boca do Senhor. Dizem continuamente aos que desprezam a palavra do Senhor: Paz tereis; e a todo o que anda na teimosia do seu coração, dizem: Não virá mal sobre vós. Pois quem dentre eles esteve no concílio do Senhor, para que percebesse e ouvisse a sua palavra, ou quem esteve atento e escutou a sua palavra?” (Jeremias 23:16-18)

“Eis que eu sou contra os profetas, diz o Senhor, que usam de sua própria linguagem, e dizem: Ele disse. Eis que eu sou contra os que profetizam sonhos mentirosos, diz o Senhor, e os contam, e fazem errar o meu povo com as suas mentiras e com a sua vã jactância; pois eu não os enviei, nem lhes dei ordem; e eles não trazem proveito algum a este povo, diz o Senhor“. (Jeremias 23:31-32)

“Viram vaidade e adivinhação mentirosa os que dizem: O Senhor diz; quando o Senhor não os enviou; e esperam que seja cumprida a palavra. Acaso não tivestes visão de vaidade, e não falastes adivinhação mentirosa, quando dissestes: O Senhor diz; sendo que eu tal não falei? Portanto assim diz o Senhor Deus: Porque tendes falado vaidade, e visto mentiras, por isso eis que eu sou contra vós, diz o Senhor Deus”. (Ezequiel 13:6-8)

Para resumir, a Bíblia deixa claro que:

1) Os profetas verdadeiros falam em nome do Deus verdadeiro.

2) Os profetas verdadeiros ensinam a obediência a Deus.

3) As palavras dos verdadeiros profetas é a própria Palavra de Deus – inerrante e infalível.

Parte IParte IIParte III – Parte IV

Anúncios