bald womanSim, Deus Se Importa Com Sua Aparência Exterior
Frank Brito

“A mulher veio então ao seu encontro, vestida como prostituta, cheia de astúcia no coração”. (Provérbios 7.10)

Aqui o Senhor reclamou das mulheres que se vestem como prostitutas. Isto, por si só, faz cessar a ignorância daqueles que dizem que Deus não se preocupa com nossa aparência exterior, com a maneira com que nos vestimos, mas somente com nosso “coração”. Este verso de Provérbios deixa claro que Deus de fato se importa a nossa aparência exterior de tal maneira que algumas maneiras de se vestir são criticadas por Ele como vestes de prostitutas. Se Deus reclamou de determinadas mulheres porque estavam como prostitutas, então devemos concluir que algumas roupas devem ser reconhecidas como roupas de prostitutas e outras não. Além disso, se Deus não se preocupasse com a nossa maneira de se vestir, segue-se que nenhum tipo de roupa, seja qual fosse, jamais poderia ser classificado como imoral e toda e qualquer vestimenta que alguém vestisse teria que ser reconhecida com boa e aceitável. Mas, se não é possível dizer que toda e qualquer roupa seja boa e aceitável, como as vestes de prostitutas criticadas pelo Senhor em Provérbios, segue-se que não podemos dizer que Deus não se preocupa com a maneira com que nos vestimos.

No Princípio

A necessidade do homem se vestir deve-se a queda de Adão. Se a Adão não tivesse caído, não seria necessário usarmos roupa. Mas, desde que Adão caiu, a roupa se tornou uma obrigação.

“Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais… E fez o SENHOR Deus a Adão e à sua mulher túnicas de peles, e os vestiu”. (Gênesis 3.7,21)

Primeiro Adão e Eva fizeram a própria roupa. Depois o próprio Deus fez. Desde então, o homem tem a obrigação moral de se vestir. Essa obrigação é tão séria que parte da descendência de Noé foi amaldiçoada simplesmente porque um de seus filhos o viu nu:

“E começou Noé a ser lavrador da terra, e plantou uma vinha. E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda. E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus irmãos no lado de fora. Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás, cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez do seu pai. E despertou Noé do seu vinho, e soube o que seu filho menor lhe fizera. E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos. E disse: Bendito seja o SENHOR Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo. Alargue Deus a Jafé, e habite nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por servo”. (Gênesis 9.20-27)

A Lei de Deus diz:

Não descobrirás a nudez de teu pai e de tua mãe: ela é tua mãe; não descobrirás a sua nudez. Não descobrirás a nudez da mulher de teu pai; é nudez de teu pai. A nudez da tua irmã, filha de teu pai, ou filha de tua mãe, nascida em casa, ou fora de casa, a sua nudez não descobrirás. A nudez da filha do teu filho, ou da filha de tua filha, a sua nudez não descobrirás; porque é tua nudez. A nudez da filha da mulher de teu pai, gerada de teu pai (ela é tua irmã), a sua nudez não descobrirás. A nudez da irmã de teu pai não descobrirás; ela é parenta de teu pai. A nudez da irmã de tua mãe não descobrirás; pois ela é parenta de tua mãe. A nudez do irmão de teu pai não descobrirás; não te chegarás à sua mulher; ela é tua tia. A nudez de tua nora não descobrirás: ela é mulher de teu filho; não descobrirás a sua nudez. A nudez da mulher de teu irmão não descobrirás; é a nudez de teu irmão. A nudez de uma mulher e de sua filha não descobrirás; não tomarás a filha de seu filho, nem a filha de sua filha, para descobrir a sua nudez; parentas são; maldade é”. (Levítico 18.7-17)

Ninguém com os graus de parentesco citados em Levítico 18 pode se ver nu. Cão viu seu pai Noé e sua descendência foi amaldiçoada. “Sem e Jafé tomaram uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás, cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez do seu pai” (Gn 9.23) e, portanto, suas descendências não foram amaldiçoadas. É interessante notar também que, após listar essas proibições, Levítico 18 encerra dizendo:

“Com nenhuma destas coisas vos contamineis; porque com todas estas coisas se contaminaram as nações que eu expulso de diante de vós. Por isso a terra está contaminada; e eu visito a sua iniqüidade, e a terra vomita os seus moradores. Porém vós guardareis os meus estatutos e os meus juízos, e nenhuma destas abominações fareis, nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós; Porque todas estas abominações fizeram os homens desta terra, que nela estavam antes de vós; e a terra foi contaminada. Para que a terra não vos vomite, havendo-a contaminado, como vomitou a nação que nela estava antes de vós. Porém, qualquer que fizer alguma destas abominações, sim, aqueles que as fizerem serão extirpados do seu povo”. (Levítico 18.24-29)

Quem estava entre estas “nações que eu expulso de diante de vós” (Lv 18.24)? Ninguém mais ninguém menos que os cananeus, descendentes de Cão (cf. Gn 10.15; Dt 7.1). Isso significa que os pecados pelos quais os cananeus estavam sendo julgados eram simplesmente o fruto da semente plantada por Cão. Os israelitas, por sua vez, eram os descendentes de Sem, de quem fora dito: “Bendito seja o SENHOR Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo” (Gn 9.26). Como está escrito: “O SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos”. (Ex 20.5-6)

Deus não leva a sério a vestimenta? Deus não se importa com a aparência exterior? Se Ele não levasse por que a falta de vestimenta em Noé e a reação de um de seus filhos foi suficiente para gerar um povo tão vil, depravada e amaldiçoada quanto os cananeus? Até quando ouviremos esse tipo de tolice vinda dos púlpitos? Quantas famílias hoje não veem isso como insignificante e trocam de roupa na frente de outros membros da família como se isto fosse algo perfeitamente normal? Em algumas ocasiões já ouvi até mesmo cristãos professos mencionarem a abominável (falta de) vestes dos índios como argumento para o completo relativismo na maneira de se vestir. Como se destruição dos filhos de Cão não fosse suficiente para demonstrar a estupidez do relativismo cultural.

Homem é Homem e Mulher é Mulher

“Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao SENHOR teu Deus”. (Deuteronômio 22.5)

blocoAlém de exigir que as pessoas usem roupas e que parentes não se vejam nus, Deus exige também que os homens se vistam de maneira diferente das mulheres. Homens têm que se vestir de forma masculina e mulheres têm que se vestir de forma feminina. Todo carnaval esta lei é sistematicamente quebrada por todo Brasil no tradicional Bloco das Piranhas, no qual homens e mulheres saem pelas ruas usando vestimentas do sexo oposto. Só em Manaus, a expectativa era de quarenta mil foliões no Bloco das Piranhas de 2013.

A exigência moral por trás desta lei é a necessidade de homens e mulheres manterem suas respectivas identidades sexuais. A relação homossexual é simplesmente a consumação final da transgressão desta exigência moral, mas a exigência de Deus é mais ampla do que isso. A exigência de homens e mulheres manterem suas respectivas identidades sexuais não inclui somente a proibição de terem relações homossexuais, mas inclui toda a maneira de se comportar, até mesmo na maneira de se vestir. O homem que de alguma maneira não se comporta como um homem é culpado de desonrar sua própria masculinidade e isso inclui se vestir como mulher.

Se Vestindo Para a Glória de Deus

Se a exigência moral por trás da lei em Deuteronômio 22.5 é a necessidade de homens e mulheres manterem suas respectivas identidades sexuais, segue-se que, de forma geral, a maneira com que nos vestimos deve sempre refletir as exigências morais de Deus e que algumas maneiras de se vestir são imorais simplesmente porque refletem o pecado. O homem não pode se vestir como mulher porque Deus exige que ele honre sua própria identidade sexual. A mulher deve se vestir como mulher porque é pecado que ela não seja feminina. Com base nisso, devemos inferir que qualquer vestimenta que de alguma maneira reflita e demonstre uma identidade pessoal que seja contrária às exigências morais de Deus, é pecado.

“E tu, ó filho do homem, dirige o teu rosto contra as filhas do teu povo, que profetizam de seu próprio coração; e profetiza contra elas. e dize: Assim diz o Senhor Deus: Ai das que cosem pulseiras mágicas para todos os braços, e que fazem véus para as cabeças de pessoas de toda estatura para caçarem as almas! Porventura caçareis as almas do meu povo? e conservareis em vida almas para vosso proveito?” (Ezequiel 13.17-18)

Aqui Deus criticou mulheres israelitas por usarem “pulseiras mágicas”. Era pecado usar estas pulseiras. Por quê? Por que qualquer vestimenta que de alguma maneira reflita e demonstre uma identidade pessoal que seja contrária às exigências morais de Deus, é pecado. Essas pulseiras identificavam tais mulheres com a feitiçaria. O problema não são as pulseiras em si, mas as pulseiras mágicas. Nossas vestimentas devem refletir as exigências morais de Deus e não o pecado. Da mesma forma que não podemos usar roupa que desonre nossa identidade sexual, masculina ou feminina, não podemos usar qualquer roupa que de qualquer maneira reflita uma identidade contrária a qualquer outra exigência moral de Deus. Devemos nos vestir para a glória de Deus. Como está escrito: “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus”. (I Co 10.31)

As Carecas de Sião

“O Senhor diz: ‘Por causa da arrogância das mulheres de Sião, que caminham de cabeça erguida, flertando com os olhos, desfilando com passos curtos, com enfeites tinindo em seus calcanhares, o Senhor rapará a cabeça das mulheres de Sião; o Senhor porá a descoberto as suas vergonhas’. Naquele dia o Senhor arrancará os enfeites delas: as pulseiras, as testeiras e os colares; os pendentes, os braceletes e os véus, os enfeites de cabeça, as correntinhas de tornozelo, os cintos, os talismãs e os amuletos; os anéis e os enfeites para o nariz; as roupas caras, as capas, as mantilhas, e as bolsas; os espelhos, as roupas de linho, as tiaras e os xales. Em vez de perfume haverá mau cheiro, em vez de cintos, corda, em vez de belos penteados, calvície, em vez de roupas finas, vestes de lamento, em vez de beleza, cicatrizes”. (Isaías 3.16-24)

Assim como Ezequiel, Isaías profetizou contra as mulheres de Israel. Mas, não foi contra as pulseiras mágicas.  Isaías profetizou contra a cultura da sensualidade entre essas mulheres. Ele profetizou contra as mulheres que “que caminham de cabeça erguida, flertando com os olhos, desfilando com passos curtos”. Aqui ele se refere a mulheres que se comportam de maneira a se mostrarem sexualmente atraentes e sensuais para os homens. Ele cita os mínimos detalhes de como isso acontece – a maneira de andar e até mesmo de olhar.  Deus as ameaçou com castigo. O castigo se cumpriu quando os exércitos estrangeiros invadiram a terra e levaram as mulheres cativas. Parte do castigo, por conta da guerra, é que elas seriam privadas de seus enfeites, roupas e até mesmo de seus cabelos – “o Senhor rapará a cabeça das mulheres de Sião”. “Para a mulher é vergonhoso ser tosquiada ou rapada” (I Co 11.6) porque “se a mulher tiver o cabelo comprido, é para ela uma glória” (I Co 11.15) e, portanto, um dos castigos de Deus seria privá-las desta glória pelo pecado de usar a glória graciosamente concedida por Deus para a promiscuidade. Os enfeites, a roupa e até mesmo o cabelo estava sendo usado como instrumento de sensualidade e sedução. Qualquer vestimenta que de alguma maneira reflita e demonstre uma identidade pessoal que seja contrária às exigências morais de Deus, é pecado. A cultura da sensualidade ensina que as mulheres devem comportar de maneira a se mostrarem sexualmente atraentes e sensuais publicamente, para os homens em geral. Deus exige que as mulheres sejam sensuais exclusivamente para seus maridos (cf. Ct 7.10; I Co 7.3-5) e não para qualquer um. Isaías nos mostra que tal exigência inclui a maneira de se vestir, de andar e até mesmo de olhar. Nos mostra também que é uma exigência tão séria que Deus estava pronto para destruir toda honra daquelas mulheres em meio a guerra como forma de puni-las.

Como as mulheres cristãs modernas têm se vestido? Como têm se comportado? Como se apresentam no culto público da Igreja? Será que é de maneira que demonstrar levar o aviso de Isaías a sério?

Conclusão

Qualquer vestimenta que de alguma maneira reflita e demonstre uma identidade pessoal que seja contrária às exigências morais de Deus, é pecado. É por isso que estão em pecado: homens que se vestem de mulher, homens com roupas que não sejam teoricamente de mulher, mas que sejam efeminadas (camisa rosa + calça jeans apertada) mulheres que se vestem de homem, mulheres que se vestem com o propósito de se mostrarem sexualmente atraentes e sensuais (como minissaias, shorts minúsculos e decotes), homens ou mulheres que usam camisas com frases ou imagens que fazem referência a blasfêmias ou grupos musicais blasfemos, ou qualquer outra coisa que de alguma maneira não reflita o caráter santo de um filho de Deus.

Anúncios