construção

Um Só Corpo: A Unidade Predestinada da Igreja de Deus
Por Frank Brito

Parte IParte IIParte IIIParte IV

“E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente”. (Efésios 4.11-14)

“Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele”. (I Coríntios 3.10)

Tendo compreendido a natureza dos ofícios de apóstolo e profeta, podemos entender melhor o que o Apóstolo Paulo explicou sobre apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores serem enviados por Deus para promover “o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo” (Ef 4.12-13).

Primeiro, há os apóstolos e profetas para lançaram o fundamento da Igreja. Para que um edifício seja bem edificado é preciso que tenha um firme fundamento. O firme fundamento está posto. É o que temos na Bíblia Sagrada. “Toda Escritura é Divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra”. (II Timóteo 3.16-17) Em seguida, há aqueles que precisam edificar sobre o fundamento lançado. Estes são os evangelistas, pastores e doutores:

“Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele”. (I Coríntios 3.10)

A ideia de que cada cristão tem, em principio, a capacidade de sozinho entender a Bíblia, sem o auxílio de outras pessoas, é uma deturpação doutrina da verdadeira doutrina bíblica e protestante sobre a suficiência das Escrituras. Para que os cristãos não fossem “levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente” (Ef 4.14), Deus não enviou somente os apóstolos e profetas para lançar o fundamento que temos na Bíblia. Ele também enviou os evangelistas, pastores e mestres para pregar e ensinar a Bíblia. “Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis. E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? Agora, porém, há muitos membros, mas um só corpo. E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós“. (I Co 12.18-21) Ninguém pode dizer aos evangelistas, pastores e mestres: “Não tenho necessidade de ti” Ninguém pode dizer: “Eu não preciso dos teólogos para entender a Bíblia! Eu leio e penso por mim mesmo!” Isso é fazer pouco caso “graça dada” (Ef 4.7). Foi Deus quem enviou os teólogos. Foi Deus quem enviou homens como Irineu, Atanásio, Agostinho, Ambrósio, Cláudio de Turim, Gottschalk de Orbais, Martinho Lutero, João Calvino, Theodore Beza, Heinrich Bullinger, John Knox, John Owen e tantos outros. O Cristianismo não começou ontem. Existe há dois milênios. Por todo esse tempo, Deus sempre enviou evangelistas, pastores e mestres. Se não lembrarmos e aprendermos com aqueles que Deus enviou e continua a enviar estamos fazendo pouco caso dos dom de Deus, estamos fazendo pouco caso dos meios que Deus estabeleceu para edificar a sua Igreja. Envidentemente, não podemos perder de vista que esses homens que Deus envia não são o fundamento. Eles edificam sobre o fundamento, mas não são o próprio fundamento. Se queremos achar o fundamento da Igreja, a perfeita doutrina de Cristo, devemos buscar em Moisés, Samuel, Isaías, Jeremias, Isaías, Pedro, João e Paulo. Aqueles que Deus envia para edificar sobre o fundamento não devem ser buscando como se fossem o próprio fundamento, mas como aqueles que foram estabelecidos por Deus para nos explicar o fundamento. Alguns fizeram e fazem seu trabalho melhor do que outros, como o Apóstolo Paulo avisou que deveriam fazer, “veja cada um como edifica sobre ele” (I Co 3.10), e é por isso que alguns são pregadores, pastores e teólogos melhores do que outros. Mas, ainda assim, todos são enviados por Deus para “o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente” (Ef 4.14). É por isso que, com tanta frequência, vemos tanta infantilidade em tantas igrejas. “Cada um [faz] o que [parece] bem aos seus olhos” (Jz 17.6) pensando que deve interpretar as Escrituras sem consultar a sabedoria de tantos mestres e sabios que Deus nos enviou no decorrer de dois milênios de Cristianismo.

Parte IParte IIParte IIIParte IV

Anúncios